RSS

Um feliz 2016

30 Dez

Olá a todos os leitores do blog… Há muito que não tinha um momento para atualizar este meu projeto, tal como dizia o velhinho Sigmund Freud “Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro“. Quer liguemos muito ou pouco ao passar do ano, esta altura é quase sempre um momento de balanços e de pensar em projetos futuros. Por vezes é preciso também relembrar que não conseguimos “estar em todas”, que é obrigatório ter tempo para cuidar de nós (e nomeadamente da nossa saúde mental).

Neste sentido, vinha desejar a todos uma excelente entrada em 2016, que lutem pelos vossos sonhos, que se desafiem, mas que não se esqueçam também que o nosso maior projeto somos nós mesmos… e o nosso bem estar e a nossa felicidade.

Um grande abraço e até breve.

Bom Ano Novo!

PS: Deixo aqui um post antigo sobre resoluções de ano novo, que se adequa sempre a esta época.

ano-novo.jpg

Quase todos nós chegamos a esta altura do ano e paramos (um pouco) para pensar naquelas coisas que correm menos bem na nossa vida e o que fazer para as alterar. Muito habitualmente fazemos uma lista de resoluções, que ganha dimensões assustadoras! “Minha nossa, tanta coisa que tenho de alterar!”.

Mas estamos cheios de coragem, nesta altura sentimos que somos capazes de tudo… e depois chega Janeiro, passamos por Fevereiro, já estamos em Março e… que horror! “Estou a pagar um ginásio a que não vou, o instrumento que comprei ainda não saiu da caixa, ainda não consegui alterar a minha alimentação, continuo a correr de um lado para o outro sem tempo para nada”… E nestas alturas surge a ansiedade e a frustração, “mas afinal porque é que não consegui fazer isto!? As minhas resoluções foram um fracasso!”. E muitos chegamos ao ponto de pensar: “desisto, para o ano é que vai ser!”. Mas será que tem que ser assim?

Vou tentar dar algumas dicas para que este ano seja diferente:

  1. O Ano Novo não é um catalisador “mágico” para mudanças radicais. É um tempo de reflexão sobre os seus comportamentos e estilo de vida, que deve levar à identificação do que há para mudar.
  2. Em vez de objetivos extremos e muito difíceis de atingir, tome a resolução de ir definindo pequenas metas atingíveis, durante todo o ano e não só uma vez por ano! Na realidade não é a extensão da mudança que importa, mas sim reconhecer que esta é importante e trabalhar para a realizar, um passo de cada vez.
  3. Faça resoluções realistas, é maior a probabilidade de as cumprir. Por exemplo se quer passar a fazer exercício não decida ir correr sete dias por semana, decida começar por andar 20 minutos um ou dois dias. Se quer perder peso, não faça uma dieta radical a partir de dia 1 de Janeiro, comece por cortar por exemplo naquela sobremesa ou substitua aquele lanche calórico por um iogurte ou uma peça de fruta.
  4. Não encare as resoluções como uma punição. Veja-as como algo positivo, afinal decidiu mudar algumas coisas no seu estilo de vida… e isso é bom!
  5. Mude um comportamento de cada vez. Os comportamentos não saudáveis também não apareceram todos ao mesmo tempo, assim sendo a mudança dos mesmos requer tempo .
  6. Fale sobre isso. Compartilhe suas experiências com a família e amigos. Considere juntar um grupo de apoio para alcançar os seus objetivos, por exemplo junte-se com amigos para ir correr, combine com colegas de trabalho um desafio de parar de fumar . Ter alguém para compartilhar suas lutas e sucessos torna a sua viagem para uma vida saudável muito mais fácil e muito menos assustadora.
  7. Não seja demasiado exigente. A perfeição é inatingível. Lembre-se que pequenas falhas no caminho são completamente normais e não são um drama. Não desista simplesmente porque comeu um bolo de arroz e falhou na sua dieta, ou porque falhou um dia de ginásio. Todos passamos por altos e baixos, afinal a vida é mesmo assim!
  8. Peça apoio se achar necessário. Aceitar a ajuda daqueles que se preocupam consigo, fortalece a sua resiliência e aumenta a capacidade de gerir o stress causado pela sua resolução. Não se sinta envergonhado se precisar de ajuda profissional para mudar comportamentos não saudáveis ou para lidar com questões emocionais.

DG

Anúncios
 

Etiquetas:

4 responses to “Um feliz 2016

  1. José Manuel Mendes de Andrade

    13 de Janeiro de 2016 at 15:06

    Para alguns sou um bloco de gelo. Há muito que deixei, de acreditar na amizade (Extinguiu-se).
    Projectos para 2016 ? Nada. Porque 2016, será igual a 2015. Como 2015 foi igual a 2014.
    Poderá ser bom, apenas para quem tem €€€€€€. Duvidam ?
    Uma consulta de Psiquiatria no privado, neste momento está inacessível a 99,9% dos Portugueses.
    Eu, e muitos utentes do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital Garcia de Orta- Unidade de Intervenção Comunitária do Seixal, estamos à espera há 5 meses de um Psiquiatra.
    Optimismo só para alguns. Infelizmente, é essa a realidade.

     
    • Reflexões de um Psiquiatra

      13 de Janeiro de 2016 at 17:58

      Uma realidade bem triste, que precisa de mudar urgentemente. Obrigado pela chamada de atenção e testemunho.

       
  2. José Manuel Mendes de Andrade

    7 de Fevereiro de 2016 at 19:42

    http://images.portoeditora.pt/getresourcesservlet/image?EBbDj3QnkSUjgBOkfaUbsI8xBp%2F033q5Xpv56y8baM6psTtl8n6zlbetAFm9wq%2FH&width=440
    O Demónio da Depressão
    de Andrew Salomon, Andrew Solomon

    Edição/reimpressão:2016
    Páginas: 816
    Editor: Quetzal Editores
    ISBN: 9789897222740
    21,96€
    Disponibilidade: Pré-lançamento – envio a partir de 12-02-2016

    Penso que este livro, deve ser muito interessante.

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: