RSS

Histórias sussurradas no gabinete do Psiquiatra #1

03 Set

old_man_talking_to_doctorAntes de mais, um aviso à navegação! Estas histórias sussuradas, são mesmo isso, um silencioso, íntimo, sussurro, que surge apenas nas condições ideais e mesmo assim, só muito raramente. Devem ser tratadas com o devido respeito, por mais bizarros ou até cómicos que estes sussurros possam ser.

Estes sussurros têm uma beleza inata, que nada tem que ver com o reino das ciências biológicas, ou com o principado da categorização de sintomas e doenças, eventualmente encontraremos no reino das artes, disciplinas que os poderão apreciar em todo o seu esplendor.

Um médico Psiquiatra escuta muitas coisas, ouve muitas histórias, confiam-lhe coisas inimagináveis (e que muitas vezes pouco estão relacionadas com a doença que originou a consulta)… mas quanto melhor for a relação entre o paciente e o seu Psiquiatra, maior a probabilidade de escutar uma história bem diferente: um sussuro.

Estas histórias sussuradas na maior intimidade são de vários tipos. Bem me lembro de um antigo e querido doente meu que me sussurou um dia ser “o oficial de comunicações da humanidade” e que não poderia dormir à noite pois “os sacanas” trabalhavam sobretudo a essa hora – um homem doente, mas com o dever de nos salvar a todos, alguém que precisava de protecção mas que não desistia da sua função vital. Neste sussuros vejo para além da doença, vi o bom deste meu doente, a resiliência, a motivação, o instinto protector dos seus… alguém que queria proteger a humanidade. Das raras vezes que desligava era um avô carinhoso que se esmerava a tomar conta do seu jardim no Alentejo.

Quantas destas pessoas poderemos esperar encontrar na nossa vida? Se este meu paciente não tivesse tido o azar de ter uma esquizofrenia seria um grande homem, mais ainda do que o que já é.

Outra doente, um pouco mais jovem, sussurou-me que “se se deixasse de cortar a única coisa que tinha era um grande vazio”, que “se matava para se sentir viva“… estes sussurros são fundamentais para o processo de cura. Tanto tempo perdemos a tentar parar que se corte ou que deixe de fazer tentativas de suicídio e tão pouco tempo dedicamos “ao grande vazio”. Estes sussurros, resultado de uma relação que funciona a nível terapêuta-paciente, são do mais valioso que existe…

Esta é a razão pela qual demoramos muito tempo a ver doentes (somos a especialidade com consultas mais demoradas: em média 45mn-1h para um primeira consulta e cerca de 30mn para as seguintes) e pela qual os queremos ver com frequência (semanal, mensal, nunca mais que trimestral)… Só assim estão encaixadas as peças para que possamos ouvir o “sussurro perfeito”, aquele que fará com que o seguimento e o tratamento tenham sucesso, que seja mais rápido e eficaz.

Quando se fazem consultas com ouvidos (e mente, já agora) fechados, quando se fazem consultas de 15 minutos a alguém que não conhecemos de lado nenhum ou de 5 minutos simplesmente “está melhor? está pior? Então é este medicamento.”, neste caso estamos a meio caminho da cronificação dos casos, das pessoas “que nunca melhoram” e “a quem já fizemos tudo”.

Nos últimos tempos em que trabalhei num serviço público tinha gestores, chefes, a pressionarem-me para ver doentes em escassos minutos, “para despachar trabalho”, não haviam técnicos suficientes, haviam pacientes sem consultas há anos e que só os conseguia ver passados 6 meses (por mais malabarismo que fizesse)… Durante este período foram raros os sussurros que ouvi. Sentia-me muito frustrado, pois sem esta frágil ligação sabia que as coisas nunca poderiam passar do razoável (no melhor dos casos).

Foquei-me agora na medicina tradicional de consultório: um médico, um doente, sem interferências. Em conjunto decidimos o tempo da consulta e as marcações, não há confusão… apenas relação em construção e, quem sabe, espero ter vários sussurros no futuro que aí vem, melhorando-me a mim próprio e ajudando o paciente a encontrar o seu caminho para sair da doença mental.

Este primeiro sussurro é só uma introdução ao tema, acho que será interessante por no blog algumas frases/ casos clínicos, em que nunca irei identificar o doente e que poderão dar azo a novas ideias para discutirmos e para nos livrarmos de muitos preconceitos que carregamos… até lá!

Um abraço e obrigado a todos aqueles que comigo já sussuram… não há nada mais motivador, obrigado!

DG 2013

Anúncios
 

Etiquetas: , ,

4 responses to “Histórias sussurradas no gabinete do Psiquiatra #1

  1. catarina borga

    5 de Setembro de 2013 at 18:37

    Gostei muito de ler. Gosto do seu blog!

     
    • Reflexões de um Psiquiatra

      6 de Setembro de 2013 at 1:40

      Muito obrigado Catarina, vou tentar manter este meu projecto de estimação activo e interessante…
      Mas para isso preciso da ajuda dos leitores, sob forma de comentários, na discussão aqui ou na página do facebook, com sugestões ou mesmo partilhas… Gostava que este espaço passasse de um espaço “meu” – onde escrevo algumas coisas que me passam pela cabeça – para um espaço “nosso” – em que em conjunto com os leitores criássemos um espaço interactivo, de discussão e de onde alguma coisa de nova pudesse surgir.
      Vamos a isto?

       
  2. Carla

    7 de Setembro de 2013 at 8:23

    Bem, estou a gostar bastante do seu blog, mas tenho de discordar do que escreveu: “somos a especialidade com consultas mais demoradas: em média 45mn-1h …” . Infelizmente tenho “tentado” ser seguida por uma psiquiatra, particular, a primeira consulta demorou 7 m e as seguintes 5m. Só me receita medicação, como nenhuma tem resultado, volto a lá ir para sair com nova receita. É bastante frustrante! Descobri este blog pois estava a realizar uma pesquisa sobre psiquiatras 🙂
    Os meus parabéns, é necessário bons profissionais em todas as áreas!

     
    • Reflexões de um Psiquiatra

      7 de Setembro de 2013 at 10:34

      Obrigado Clara,
      Por vezes o tempo parece voar nestas consultas, terão sido mesmo só 7 mn numa primeira consulta? Aa coisas variam de profissional para profissional. Até mesmo de doente para doente (estou-me a lembrar de uma doente que tenho que basicamente se quer despachar e diz “que quero consultas rápidas, só posso estar aqui 10mn”, trás um livro com registos de ocorrências e aquilo é uma aceleração).
      Tente falar com o Psiquiatra que a segue se sente que existem coisas importantes que ficaram por dizer, seja frontal. Os medicos também são seres humanos, por vezes temos dias piores, terá sido isso?
      No que me toca: Obrigado pelo elogio ao blog! 😉

       

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: