RSS

Dias negros que vivemos

19 Jan

O vírus não se importa se estamos fartos dele, se perdemos a paciência, se estamos cansados. E a verdade é que estamos.

Há quase um ano que a Covid-19 nos limita a vida, nos assusta, nos tira o sono, nos cria ansiedade sobre o que acontecerá no futuro. Porventura alguns já terão tido alguns sustos de saúde relacionados com o vírus e, tragicamente, alguns já terão perdido alguém para esta pandemia.

Os números atuais são assustadores. As descrições dos meus colegas da linha da frente são aterrorizadoras. O desespero, o cansaço, sente-se a revolta por darem o seu melhor e nunca ser suficiente. A meu ver, os profissionais de saúde são neste momento os heróis desta situação pandémica… mas custa ver o quão mal tratados são. Quando alguns não cumprem as recomendações e contribuem para agravar as situações impossíveis nos hospitais, achando que os recursos são ilimitados e que todos os profissionais são super-homens e super-mulheres, não imaginam o mal trato que é isto. Os médicos, os enfermeiros, os auxiliares, os técnicos, são humanos como nós! Sofrem com o que vêem, com a pressão a que estão sujeitos, com a catástrofe a que assistem, deixaram de ter férias, pausas, tempos de descanso. Não é possível pedir-lhes mais!

Estamos todos cansados… exaustos… mas o vírus não.

A sensação de “fadiga pandémica” é algo já bem compreendido, que leva a que as pessoas se desleixem nos cuidados que deveriam ter, na preocupação com os outros e, em casos extremos, poderá levar à negação do problema de uma forma irracional. Mas mesmo que neguemos o vírus ele não nos nega a nós, lamento informar.

É crucial nesta fase tomar conta da nossa saúde mental. Só com a cabeça no sítio podemos lidar com este desafio. Já em Março do ano passado achei que isto seria algo muito importante e… contínuo a achar. Neste post “Cuidar da nossa Saúde Mental no tempo do Coronavírus” têm acesso a algumas dicas que sistematizei nesse sentido.

De facto, para além de cuidar da nossa saúde (física e mental), a única coisa que podemos fazer para contribuir para a luta contra a covid é cumprir as regras de saúde pública, por mais que isto nos custe ou nos canse. Só assim, num grande esforço conjunto e solidário, podemos baixar as taxas de infecção, prevenir a mortalidade e ajudar os nossos profissionais de saúde.

Todas as escolhas têm consequências. Pense bem antes de ignorar as medidas de prevenção contra o coronavírus. Proteja-se a si e aos outros! 🧠💪

Diogo Guerreiro

Médico Psiquiatra

#stopCovid19 #AfastamentoFísico #UsodeMáscara #HigienizaçãodasMãos #EtiquetaRespiratória #Sejaresponsável #FIQUEEMCASA

 

Etiquetas: , , , , , ,

2 responses to “Dias negros que vivemos

  1. MT

    19 de Janeiro de 2021 at 8:28

    Obrigada pela inspiração 🙂

     
  2. Luciene Medeiros

    7 de Março de 2021 at 19:39

    Infelizmente muitos estão ignorando tudo isso, mas de forma irresponsável. Nos protejamos!!

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: