RSS

Arquivo de etiquetas: Prevenção do Suicídio

Um dos Mitos da Psiquiatria

A meu ver um dos maiores mitos (ideias falsas) na Psiquiatria é o seguinte:

Os diagnósticos em Psiquiatria são apenas etiquetas para comportamentos normais.

Para quem nunca lidou com alguém com uma doença mental (como amigo, familiar ou mesmo técnico) pode parecer que determinados sintomas psicopatológicos são muito semelhantes a emoções ou comportamentos normais.

Por exemplo, como traçar a linha entre a tristeza normal e a patológica, ou quando é que falamos de timidez ou de ansiedade social, ou quando é que a organização se torna uma compulsão?

No entanto, tal como a diferença entre um tumor benigno e um cancro, os sintomas na perturbação mental são bem diferentes das emoções ou comportamentos “normais”. Habitualmente, quando determinada emoção ou comportamento se torna debilitante ao ponto do paciente não conseguir funcionar do ponto de vista profissional, social ou familiar, estamos muito provavelmente perante uma doença mental.

O diagnóstico (a “etiqueta”), apesar de todas as limitações que bem conhecemos, torna-se nestes casos particularmente importante por várias razões:

  • para o próprio paciente saber com o que está a lidar;
  • para os técnicos intervirem da melhor forma e de acordo com o que se sabe do ponto de vista científico para esse diagnóstico;
  • também para a evolução da ciência, pois é necessário que os investigadores falem uma linguagem comum para compararem resultados e discutirem as possíveis linhas de investigação.

Os problemas de saúde mental (ou doenças psiquiátricas) são muito frequentes. Na verdade, quase 1 em cada 5 portugueses terão um problema de saúde mental diagnosticável ao longo da sua vida, de acordo com os dados da Direção Geral de Saúde.

Felizmente, hoje em dia, há vários tratamentos eficazes, quer em termos medicamentosos, mas também várias psicoterapias e intervenções ao nível do estilo de vida (como a prática de exercício físico, a meditação e intervenções nutricionais).

Daí a importância de um diagnóstico precoce, pois o prognóstico das doenças psiquiátricas é muito melhor quando acompanhadas desde cedo, podendo levar à remissão total dos sintomas e à prevenção das consequências terríveis de uma doença mental não tratada (como por exemplo a incapacidade profissional, o corte de relações sociais ou familiares, ou, em casos extremos, o suicídio).

DG 2018

PS: Se quiser conhecer outros mitos carregue neste link.

 

Etiquetas: , , ,

Dia “Time to Talk”

tttd-960-x-9603.jpgUma organização do Reino Unido promove o dia do “Tempo para Falar” (“Time to Talk”) sobre a Saúde Mental. O objetivo é diminuir a descriminação e o estigma a que muitos dos que sofrem com doença mental estão sujeitos… e isto pode ser feito de forma simples: falando sobre o assunto!

Este é o site oficial: https://www.time-to-change.org.uk

Neste site existe um vasto conteúdo, que todos podemos utilizar para sensibilizar sobre este tema. Estão disponíveis mais de 1000 histórias pessoais.

Aqui está um excerto retirado do site: 

Cerca de 1 em cada 4 pessoas terá um problema de saúde mental este ano, mas a vergonha e o silêncio podem ser tão maus quanto o próprio problema de saúde mental. A sua atitude em relação à saúde mental pode mudar a vida de alguém“.

Que não hajam dúvidas em relação a isto, a atitude de todos nós perante a Saúde Mental pode levar a mudanças substanciais na qualidade de vida dos outros… Por isso, fale sobre isto…

Desafio aceite, e vocês?

Abraços
DG 2018

Neste post mais antigo poderão ver alguns dos mitos (ideias erradas) mais comuns sobre este tema: https://reflexoesdeumpsiquiatra.com/2014/09/08/10-mitos-sobre-saude-mental/

 

Etiquetas: , , , , , , ,

Setembro Amarelo: prevenir o Suicídio

O suicídio é um importante problema de saúde pública a nível global. Alguns números da Organização Mundial de Saúde permitem-nos ver a dimensão desta questão:

  • No mundo, 800 mil pessoas suicidam-se todos os anos (o que significa 1 pessoa a cada 40 segundos).
  • A Europa é a região do mundo com a mais alta taxa de suicídio (14,1 por cada cem mil habitantes).
  • Portugal está acima da média global de suicídios, apresentando uma taxa de 13,7 por cem mil habitantes em 2015, face a uma taxa mundial de 10,7 (dados de 2015).
  • O suicídio afeta pessoas de todas as faixas etárias, apesar de ser mais frequente nos idosos é a 2ª causa de morte entre os 15-29 anos (a primeira causa são acidentes de viação).
  • Por cada suicídio muito mais pessoas fazem tentativas de suicídio ou comportamentos autolesivos, sendo estes dos principais fatores de risco para suicídio consumado.

logo.png

Quem está em risco?

Existe uma ligação clara entre suicídio e doenças mentais (em particular com a depressão, a doença bipolar, determinadas perturbações de personalidade, abuso e dependência de substâncias). Estima-se que em pelo menos 90% dos suicídios fosse possível diagnosticar uma perturbação psiquiátrica.

No entanto, o suicídio é um resultado de múltiplos fatores, que se associam entre si e que podem levar a este desfecho trágico. No fundo, o suicídio não acontece apenas por uma coisa, mas sim pela combinação de excesso de fatores de risco e défice de fatores protetores.

  • Fatores de risco são circunstâncias, condições, acontecimentos de vida, doenças ou traços de personalidade que podem aumentar a probabilidade de alguém realizar comportamentos autolesivos ou atos suicidas. São exemplos: doença mental (não seguida, não tratada); experiências adversas na infância; bullying ou mobbing; baixa autoestima; perfeccionismo e rigidez; sentimentos de desesperança; presença de tentativas de suicídio prévias ou contacto com suicídio ou comportamentos autolesivos de outros.
  • Fatores protetores correspondem a características e circunstâncias individuais, coletivas e socioculturais que, quando presentes e/ou reforçadas, estão associadas à prevenção dos comportamentos autolesivos e do suicídio. São exemplos: boa capacidade da resolução de problemas e conflitos; iniciativa no pedido de ajuda; noção de valor pessoal; bons relacionamento familiares; facilidade de acesso aos serviços de saúde; boa inserção sociocultural.

Muito pode ser feito para prevenir o suicídio. Segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. É necessário a pessoa procurar ajuda e cuidados de quem está à sua volta.

Neste contexto destaco uma das mais recentes iniciativas, a “Campanha Setembro Amarelo”. Esta tem como principal objetivo a consciencialização sobre a prevenção do suicídio, alertando a população e as instituições. Iniciada em Brasília em 2014, tem ganho projeção a nível global. Em Portugal, Beja é a primeira cidade portuguesa a promover iniciativas no âmbito desta campanha. Fica aqui o site do facebook: https://www.facebook.com/setembroamarelobeja.

É importante que todos juntemos os nossos esforços para ajudar quem está em sofrimento e para quebrar os mitos e ideias erradas, que tantas vezes impedem as pessoas de serem ajudados efetivamente.

Convido-vos também a visitarem este artigo intitulado: os 10 grandes mitos (ideias erradas) sobre o suicídio e sobre os comportamentos autolesivos.

Abraços para todos

DG 2017

PS: A visitar o site oficial do Setembro Amarelo: http://www.setembroamarelo.org.br

 

 

Etiquetas: , , ,

Férias… e um apelo.

Estou oficialmente de férias!… e o blog vai acompanhar-me no merecido descanso, voltando em Setembro para discutir e partilhar mais assuntos relacionados (ou não) com a Saúde Mental (e basicamente, com o que me vier à mente).

Queria, no entanto, divulgar um projeto do SOS voz amiga, que está em fase de crowd funding durante o mês de Agosto e cujo objetivo é o seguinte:

Dar a conhecer o serviço prestado pela linha SOS VOZ AMIGA, que atualmente atende diariamente das 16 horas às 24 horas. Sendo nosso objetivo alargar esse período de atendimento para as 24 horas. Para tal necessitamos de sensibilizar através do grande alcance de um SPOT televisivo…. Assim e numa altura em que o suicídio é um problema grave de saúde pública, apostamos neste projecto de divulgação.

O SOS voz amiga é a primeira linha telefónica de ajuda generalista a ser criada em Portugal 1978), um serviço de ajuda em situações agudas de sofrimento causadas pela Solidão, Ansiedade, Depressão e Risco de Suicídio. Tem ajudado muita gente, contanto sobretudo com apoio voluntário e não pago; penso que é altura de os ajudar a poderem ajudar mais.

Peço-vos para ajudarem com um donativo ou com a divulgação do mesmo, neste site: http://ppl.com.pt/pt/causas/campanha-prevencao-suicidio

Até breve, conforme o caso bom trabalho ou boas férias.

Abraços a todos.

DG 2015

fechado_ferias

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 28 de Julho de 2015 em Reflexão geral

 

Etiquetas: , ,

Divulgação: XXII Encontro da Adolescência, dias 5 e 6 de Março

friends-jumping1

Aproveito este espaço para divulgar o XXII Encontro da Adolescência, promovido pelo Núcleo de Estudos do Suicídio e pelo Serviço de Psiquiatria do CHLN. Vai decorrer nos dias 5 e 6 de Março (2015), no Fórum Lisboa. “Os terapeutas dos adolescentes”; “O cérebro adolescente”; “Comportamentos suicidários”; “Sexualidades”; “Projectos comunitários” – são alguns dos temas deste encontro.

Anexo o programa:

XXII Encontro da adolescencia_1XXII Encontro da adolescencia_2

 

Etiquetas: , , , , ,

Comportamentos autolesivos em adolescentes

autolesãoJá está Disponível no site da Sociedade Portuguesa de Suicidologia o relatório da investigação que desenvolvi sobre Comportamentos Autolesivos em Adolescentes.

Acabei de voltar das Jornadas sobre Comportamentos Suicidários no Luso, onde mais uma vez apresentei o tema, tendo havido um óptimo feedback e preocupação evidente com esta questão. 

Sobram as questões de sempre: então e agora?

Para quando implementar de forma generalizada (com o suporte dos Ministérios da Saúde e da Educação, das Faculdades, das escolas, da sociedade em geral) estratégias de prevenção e intervenção?

Há intervenções em curso, mas todas com escassos recursos e fruto da carolice de algumas pessoas… mas não chega.

Não há investimento melhor do que nos jovens (ou no nosso futuro, na realidade).

DG 2014

 

Etiquetas: , , ,

Contemplação do complexo

Estou neste momento a preparar uma comunicação sobre um tema altamente complexo: como avaliar através de medidas numéricas (psicometria) o risco de suicídio ou autolesão… Tema sobre o qual irei falar nas 10.ªs Jornadas sobre Comportamentos Suicidários (que irão decorrer de 25 a 27 de Setembro de 2014, no Grande Hotel do Luso) – http://www.jcsuicidio2014.com.

Esta obra pareceu-me apropriada.

Kandinsky: “Composição VII”, segundo o artista a obra mais complexa que alguma vez criou...

Kandinsky: “Composição VII”, segundo o artista a obra mais complexa que alguma vez criou…

 

Etiquetas: ,

 
%d bloggers like this: